Orlando City entra no G6 após empate

Rate this post
Orlando City entra no G6 após empate com Chicago Fire
O Orlando City voltou a figurar no grupo das seis melhores equipes da Conferência Leste da Major League Soccer (MLS) 2015, após empatar em 1 a 1 com o Chicago Fire, nesse sábado, no estádio Orlando Citrus Bowl. Se os Lions terminarem a temporada regular no G6, o time estará classificado para os playoffs, em sua temporada de estreia na liga, repetindo um feito conquistado por apenas duas equipes na história da MLS. 
Antes dos 10 minutos de jogo, o capitão Kaká cobrou escanteio e a bola encontrou o espanhol David Mateos, posicionado na altura da segunda trave. O zagueiro, que fazia sua estreia no estádio Citrus Bowl, cabeceou para o chão, mas o goleiro do Chicago Fire, Johnson, fez a defesa.
O jogo sofreu sucessivos atrasos, causados pelas tempestades que caíram nas proximidades. A partida seria interrompida aos 18 minutos do primeiro tempo, após um raio ter sido detectado a 5 quilômetros de distância – pelas regras da MLS, raios a menos de 16 km do estádio interrompem as partidas por pelo menos 30 minutos. Porém, a paralisação durou 1 hora e 7 minutos. 
Quando o jogo foi retomado, Cyle Larin ajeitou a bola dentro da área para bicicleta de Lewis Neal, mas o assistente número 2 pegou impedimento do meia inglês.
O Chicago Fire sairia na frente aos 29 minutos da etapa inicial. David Accam recebeu de Cocis dentro da área do Orlando City. O meia fez boa jogada pela esquerda, batendo cruzado, sem chance de defesa para o goleiro Tally Hall. 1 a 0.
Os Lions empataram ainda no primeiro tempo. Lewis Neal fez bom cruzamento da direita aos 36 minutos e Cyle Larin disputou de cabeça. O zagueiro do Chicago Fire, Eric Gehrig, foi o último a tocar na bola antes dela entrar e empatar a partida em 1 a 1.
Aos 11 minutos do segundo tempo, Kaká recebeu de Carlos Rivas na meia-lua da grande área. O capitão levantou a cabeça e bateu colocado no canto esquerdo. A bola saiu a poucos centímetros da trave esquerda.
O gol da virada do Orlando City por pouco não saiu aos 36 minutos, quando Cyle Larin driblou o lateral Jones e passou para Carlos Rivas, que finalizou na trave esquerda do gol de Johnson. 
O Orlando City manteve a posse de bola durante 62,7% da partida e pressionou o adversário até os acréscimos, quando o goleiro do Chicago Fire fez uma defesa incrível, depois que o salvadorenho Darwin Cerén chutou de fora da área, buscando o ângulo superior esquerdo. Porém, a partida terminou empatada em 1 a 1. 
No próximo sábado, os Lions enfrentam o New England Revolution. A partida começa às 19h30 (20h30 de Brasília) no Gillette Stadium, na região metropolitana de Boston. A equipe retorna ao estádio Orlando Citrus Bowl no domingo, 13 de setembro, para partida contra o Sporting Kansas City.
Orlando City 1×1 Chicago Fire
Estádio: Orlando Citrus Bowl
Local: Orlando
Público: 28.921
Gols:
CHI: David Accam 29’
ORL: Eric Gehrig (contra) 36’
Cartões:
ORL: Luke Boden (amarelo) 32’
ORL: Eric Gehrig (amarelo) 43’
CHI: Kennedy Igboananike (amarelo) 77’
ORL: Carlos Rivas (amarelo) 83’
Escalações
Orlando City SC – Tally Hall; Corey Ashe, Collin, David Mateos e Luke Boden; Erik Avila, Cristian Higuita (Servando Carrasco 86), Darwin Cerén, Carrasco e Kaká; Cyle Larin (Pedro Ribeiro 82’)
Técnico: Adrian Heath
Chicago Fire – Sean Johnson, Matt Polster, Eric Gehrig, Jeff Larentowicz, Joevin Jones, Patrick Nyarko o (Harry Shipp 60’), Razvan Cocis, Michael Stephens, David Accam, Kennedy Igboananike e Gilberto (Jason Johnson 60’)
Técnico: Frank Yallop

   

 

Estatísticas

 

Chutes a gol:
ORL: 12
CHI: 12

 

Escanteios:
ORL: 9
CHI: 5

 

Impedimentos:
ORL: 4
CHI: 1

 

Faltas:
ORL: 14
CHI: 10

 

Defesas:
ORL: 1
CHI: 2
Para mais informações, acompanhe o Orlando City emwww.OrlandoCitySC.comFacebookTwitterYouTubeInstagram.

Sobre o Orlando City

O Orlando City é um time que representa a paixão brasileira na liga de futebol que mais cresce no mundo, a Major League Soccer (MLS). Clube de propriedade do empreendedor brasileiro Flávio Augusto da Silva, o Orlando City joga sua temporada de estreia na principal liga dos Estados Unidos e do Canadá em 2015, com o meia Kaká como sua maior estrela. O estádio Orlando Citrus Bowl, palco da Copa do Mundo de 1994, que passou por uma renovação de $200 milhões de dólares, é a casa dos Lions em 2015. Em 2016, o Orlando City se mudará para seu próprio estádio, uma arena moderna e confortável no coração da cidade com capacidade para 25,5 mil torcedores.
Na temporada inaugural do clube na MLS, os Lions têm uma média de público de aproximadamente 33 mil espectadores por jogo nas partidas realizadas em Orlando, um recorde histórico para um time estreante na MLS – incluindo 62,5 mil na estreia histórica do time na liga. O Orlando City não apenas cativou o coração da população local, como continua consolidando sua marca globalmente, com jogos transmitidos ao vivo para mais de 100 países e narrados em 30 línguas diferentes.

CRÉDITOS: http://www.orlandocitysc.com

Deixe aqui o seu comentário!

Comentários

Leave a Comment

PATROCINADORES